Acesso Livre Acesso Livre  Acesso restrito Acesso Restrito

O financiamento da educação no Brasil como instrumento de aprofundamento da desigualdade social

Fabrício Motta, Leonardo Buíssa, Maísa Barbosa

Resumo


A Educação e seu financiamento, fundamentais ao desenvolvimento de um povo, apresenta-se como tema complexo cujas dificuldades se mostram aparentemente intransponíveis em nosso país. O presente artigo objetiva analisar o vigente arranjo federativo constitucional de fianciamento cooperativo do direito fundamental à educação, sua relevância para o desenvolvimento do país, bem como em que medida o financiamento educacional tem impactado a desigualdade. Nesse expectro, avaliar-se-á a conformação consitucional do fianciamento à educação, os atos das disposições constitucionais transiórias que afetam diretamente o tema e as informações relativas à desigualdade educacional. Os dados e análises, componentes de uma pesquisa maior, foram extraídos do Anuário Brasileiro da Educação Básica 2017, do relatório Education at a Glance 2017 e do Relatório das desigualdades brasileira-OXFAN. As informações vinculadas à educação demonstram um contrassenso entre o espírito da Constituição e a realidade nacional, onde ocupa o Brasil a desconfortável colocação de décimo país mais desigual do mundo

Palavras-chave


educação; financiamento; desenvolvimento; desigualdade social; direitos sociais.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 5 out. 1988.

______. Câmara dos Deputados. Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira. Estudo Técnico nº 12/2016 – Impactos do “Novo Regime Fiscal” – subsídios à análise da proposta de Emenda à Constituição – PEC nº 241/2016. Brasília, 2016. p. 36/37. Disponível em: . Acesso em 07 fev. 2018.

______. Decreto nº 6.094, de 24 de abril de 2007. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 25 abr. 2007.

______. Emenda Constitucional nº 27, de 21 de março de 2000. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 22 mar. 2000.

______. Emenda Constitucional nº 42, de 19 de dezembro de 2003. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 31 dez. 2003.

______. Emenda Constitucional nº 53, de 19 de dezembro de 2006. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 20 dez. 2006.

______. Emenda Constitucional nº 56, de 12 de dezembro de 2007. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 21 dez. 2007.

______. Emenda Constitucional nº 59, de 11 de novembro de 2009. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 12 nov. 2009.

______. Emenda Constitucional nº 68, de 21 de dezembro de 2011. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 22 dez. 2012.

______. Emenda Constitucional nº 93, de 8 de setembro de 2016. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 08 set. 2016.

______. Emenda Constitucional nº 95, de 15 de dezembro de 2016. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 15 dez. 2016.

______. Emenda Constitucional de Revisão nº 1, de 01 de março de 1996. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 01 mar. 1994.

______. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 23 dez. 1996.

______. Lei nº 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 10 jan. 2001.

______. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 26 jun. 2014 – edição extra.

______. Tribunal de Contas da União. Processo nº 020.911/2013-0, Acórdão nº 713/2014 – Plenário, Relator Min. Raimundo Carneiro, Data da sessão: 26/03/2014. Disponível em: . Acesso em: 07 fev. 2018.

BUCCI, Maria Paula Dallari; VILARINO, Marisa Alves. A ordenação federativa da Educação brasileira e seu impacto sobre a formação e o controle das políticas públicas educacionais. In: ABMP – Todos pela Educação. Justiça pela qualidade na educação. São Paulo: Saraiva, 2013. p. 117-150.

CARNEIRO, Tulio Andrade. Financiamento, gestão e qualidade da educação pública. Curitiba: Appris, 2016.

DOURADO, Luiz Fernandes (Coord.); OLIVEIRA, João Ferreira de; SANTOS, Catarina de Almeida. A qualidade da Educação: conceitos e definições. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – INEP. Brasília, 2007. Disponível em: . Acesso em: 1 fev. 2018.

HACHEM, Daniel Wunder; KALIL, Gilberto Alexandre de Abreu. O direito fundamental social à educação e sua maximização por meio da função extrafiscal dos tributos: o exemplo do Programa Universidade para Todos (Prouni). A&C – Revista de Direito Administrativo & Constitucional, Belo Horizonte, ano 16, n. 66, p. 153-177, out./dez. 2016.

HELENE, Otaviano. Um diagnóstico da educação brasileira e de seu financiamento. Campinas: Autores Associados, 2013.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA - INEP. Estimativa do Percentual do Investimento Público Total em Educação em Relação ao Produto Interno Bruto (PIB), por Nível de Ensino - Brasil 2000-2014. Disponível em: . Acesso em: 31 jan. 2018.

MARIANO, Cynara Monteiro. Emenda constitucional 95/2016 e o teto dos gastos públicos: Brasil de volta ao estado de exceção econômico e ao capitalismo do desastre. Revista de Investigações Constitucionais, Curitiba, vol. 4, n. 1, p. 259-281, jan./abr. 2017.

ORGANIZATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT - OECD. Education at a Glance 2017: OECD indicators. Paris. OECD Publishing, 2017. Disponível em: . Acesso em: 24 jan. 2018.

OXFAM BRASIL. A Distância que nos Une: um retrato das desigualdades brasileiras. Escrito por Rafael Georges, coordenado por Kátia Maia e revisto por Wanda Brant. Editoração Brief Comunicação. Disponível em: (https://www.oxfam.org.br/a-distancia-que-nos-une>. Acesso em: 24 jan. 2018.

PINTO, Élida Graziane. Financiamento dos Direitos à Saúde e à Educação. Belo Horizonte: Fórum, 2015.

ROZNAI, Yaniv; KREUZ, Letícia Regina Camargo. Conventionality control and Amendment 95/2016: a Brazilian case of unconstitutional constitutional amendment. Revista de Investigações Constitucionais, Curitiba, vol. 5, n. 2, p. 35-56, mai./ago. 2018.

SAVIANI, Dermeval. Escola e Democracia. 42. ed. Campinas: Autores Associados, 2012.

SCHULTZ, T. W. O valor econômico da educação. Traduzido por P. S. Werneck. Zahar Editores: Rio de Janeiro, 1967.

SOUSA, Eliane Ferreira de. Direito à educação: requisito para o desenvolvimento do país. São Paulo: Saraiva, 2010.

TODOS PELA EDUCAÇÃO. Anuário Brasileiro da Educação Básica. Organizado por Priscila Cruz e Luciano Monteiro. São Paulo: Moderna, 2017. Disponível em: . Acesso em: 24 jan. 2018.

UNITED NATIONS DEVELOPMENT PROGRAMME – UNDP. Human Development Report 2016: Human Development for Everyone. Washington, 2016. Disponível em:

VALLE, Vanice Regina Lírio do. Novo Regime Fiscal, autonomia financeira e separação de poderes: uma leitura em favor de sua constitucionalidade. Revista de Investigações Constitucionais, Curitiba, vol. 4, n. 1, p. 227-258, jan./abr. 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.21056/aec.v18i73.983

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Fabrício Motta, Leonardo Buíssa, Maísa Barbosa

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

ISSN 1516-3210 | e-ISSN 1984-4182


Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

R. Saldanha Marinho, n. 1762, Bigorrilho, Curitiba-PR, Brasil, CEP 80730-060
Telefone: +55 41 3014-0740

E-mail: aec.revista@gmail.com

http://www.revistaaec.com