Aportes para um ideário brasileiro de gestão pública: a função do controle externo

Angela Cassia Costaldello

Resumo


Nos dias atuais, há fundamentos suficientes para a composição de um ideário brasileiro de gestão pública e de sua apreciação pelos Tribunaisd e Contas e que não a reduz a uma sinonímia de Administração Pública, mas que incorpora aspectos necessários e relativos ao planejamento estratégico, ao dever de desempenho ótimo, à eficácia progressiva e a prescrever disposições que possam direcionar a res publica a uma performance melhor. Pretende-se, assim, delinear em linhas gerais esses baldrames. A proposta não versa sobre a mera importação e utilização de mecanismos da administração privada no âmbito do Estado, mas pretende o desenvolvimento de ferramentas específicas, próprias da seara pública, que poderão induzir, inclusive, a uma republicização do Estado, redundado na concretização do princípio da boa administração. Dentre esses meios públicos de atuação destacam-se aqueles decorrentes do cumprimento da missão constitucional dos órgãos de controle, em especial dos Tribunais de Contas, que devem efetuar a averiguação, não apenas das contas públicas e da sua legalidade, legitimidade e eficiência, mas também — e na atualidade principalmente — da conformação da gestão pública ao princípio da boa administração e aos demais princípios constitucionais, sempre norteados pela concretização
da dignidade da pessoa humana. 


Palavras-chave


Gestão pública; políticas públicas; controle externo; Tribunal de Contas; Administração Pública

Texto completo:

PDF

Referências


ALEXY, Robert. Teoria de los derechos fundamentales. Madrid: Centro de Estúdios Constitucionales, 1997.

ALMEIDA, Dayse Coelho de. A fundamentalidade dos direitos sociais. Disponível em:

. Acesso em: 30 maio 2006.

AMARAL, Gustavo. Direito, escassez e escolha: em busca de critérios jurídicos pra lidar com a escassez de recursos e as decisões trágicas. Rio de Janeiro: Renovar, 2001.

BALDO, Rafael Antônio. Novos horizontes para a gestão pública. Curitiba: Juruá, 2009.

BANDEIRA DE MELLO, Celso Antônio. Curso de direito administrativo. 26. ed. São Paulo: Malheiros, 2009.

BARCELLOS, Ana Paula de. Neoconstitucionalismo, direitos fundamentais e controle das políticas públicas. Revista de Direito Administrativo, Rio de Janeiro, n. 240, abr./jun. 2005.

BREUS, Thiago Lima. Políticas públicas no Estado constitucional: problemática da concretização dos direitos fundamentais pela Administração Pública brasileira. Belo Horizonte: Fórum, 2007.

BRITTO, Carlos Ayres. O regime constitucional dos Tribunais de Contas. Revista Diálogo Jurídico, Salvador, CAJ – Centro de Atualização Jurídica, v. 1, n. 9, dez. 2001. Disponível em: . Acesso em: 19 out. 2007.

BUCCI, Maria Paula Dallari. Direito administrativo e políticas públicas. São Paulo: Saraiva, 2002.

CANOTILHO, José Joaquim Gomes. Constituição e défice procedimental. In: CANOTILHO,José Joaquim Gomes. Estudos sobre direitos fundamentais. Coimbra: Coimbra Ed., 2004.

CARAVANTES, Geraldo R.; BJUR, Wesley. Readministração em ação. São Paulo: Makron Books, 1996.

CHEVALLIER, Jacques. Le concept d’intérêt en science administrative. In: GÉRARD, Philippe. OST, François; KERCHOVE, Michel van de (Org.). Droit et Intérêt. Bruxelles: Publications

des Facultés universitaires Saint-Louis, 1990. v. 1. Approche interdisciplinaire.

CHEVALLIER, Jacques. Le Droit Administratif entre Science Administrative et Droit Constitutionnel. In: CHEVALLIER, Jacques (Org.). Le Droit Administratif en Mutation. Paris: Presses Universitaires de France, 1993.

CHEVALLIER, Jacques. Science administrative. 3e éd. refondue. Paris: Presses Universitaires de France, 2002.

COMPARATO, Fábio Konder. Ensaio sobre o juízo de constitucionalidade das políticas públicas. In: BANDEIRA DE MELLO, Celso Antônio (Org.). Estudos em homenagem a Geraldo

Ataliba. São Paulo: Malheiros, 1997. v. 2. Direito administrativo e constitucional.

CORREIA, Fernando Alves. O plano urbanístico e o princípio da igualdade. Coimbra: Almedina, 1989.

DIDIER, Jean-Pierre. La déontologie de l’Administration. Paris: PUF, 1999.

FERLIE, Ewan et al. A nova Administração Pública em ação. Trad. Sara Rejane de Freitas Oliveira; revisão técnica de Tomás de Aquino Guimarães. Brasília: EXANP, 1999.

FREITAS, Juarez. Discricionariedade administrativa e o direito fundamental à boa Administração Pública. São Paulo: Malheiros, 2007.

GALDINO, Flávio. Introdução à teoria dos custos dos direitos: direitos não nascem em árvores. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2005.

GOUVÊA, Marcos Maselli. O controle judicial das omissões administrativas: novas perspectivas de implementação de direitos prestacionais. Rio de Janeiro: Forense, 2003.

HÖFLING, Eloisa de Mattos. Estado e políticas (públicas) sociais. Disponível em:

=iso>. Acesso em: 24 out. 2006.

HOLMES, Stephen; SUNSTEIN, Cass R. The Cost of Rights: Why Liberty Depends on Taxes. New York: W.W. Norton & Company Inc., 1999.

JUSTEN FILHO, Marçal. Curso de direito administrativo. São Paulo: Saraiva, 2010.

KRELL, Andréas J. Controle judicial dos serviços públicos básicos na base dos direitos fundamentais sociais. In: SARLET, Ingo Wolfgang (Org). A Constituição concretizada: construindo

pontes entre o público e o privado. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2000.

LEAL, Rogério Gesta. Controle da Administração Pública no Brasil: anotações críticas. A&C – Revista de Direito Administrativo e Constitucional, Belo Horizonte, ano 5, n. 20, abr./jun. 2005.

LEAL, Rogério Gesta. Estado, Administração Pública e sociedade: novos paradigmas. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2006. p. 34.

LIMA, Rui Cirne. Princípios de direito administrativo. 3. ed. Porto Alegre: Livraria Sulina, 1954.

MARQUES NETO, Floriano Peixoto de Azevedo. Regulação estatal e interesses públicos. São Paulo: Malheiros, 2002.

MARQUES, Maria Manuel Leitão; MOREIRA, Vital. A mão visível: mercado e regulação. Coimbra: Almedina, 2003.

MILESKI, Helio Saul. O controle da Gestão Pública. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2003.

NEVES, A. Castanheira. Metodologia jurídica: problemas fundamentais. Coimbra: Coimbra Ed., 1993.

O’LEARY, Rosemary; STRAUSSMAN, Jeffrey D. El impacto de los tribunales sobre la gestión pública. In: BOZEMAN, Barry (Coord.). La gestión pública: su situación actual. México, D.F.:

Fondo de Cultura Económica, 1998.

PERRY, James L. La teoria de la gestión pública: qué es?: qué debería ser?. In: BOZEMAN, Barry (Coord.). La gestión pública: su situación actual. México, D.F.: Fondo de Cultura Económica, 1998.

SEN, Amartya. Desenvolvimento como liberdade. 3. reimp. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.




DOI: http://dx.doi.org/10.21056/aec.v10i40.520

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Angela Cassia Costaldello

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

ISSN 1516-3210 | e-ISSN 1984-4182


Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

R. Saldanha Marinho, n. 1762, Bigorrilho, Curitiba-PR, Brasil, CEP 80730-060
Telefone: +55 41 3014-0740

E-mail: aec.revista@gmail.com

http://www.revistaaec.com